fbpx
Texto: Yuri Lopes Pereira
Fotografia: André Ventura e Gustavo Lopes Pereira

Rounds of Boxing 2022 foi uma Gala de Boxe Olímpico, realizada a 23 e 24 de Abril em Lisboa. Um torneio intenso e competitivo, exemplo entusiasmante do bom período que o Boxe atravessa ao nível nacional. Dois dias de competição exímia e saudável, com uma organização exemplar da Rounds Academy.

Qualquer evento presencial em 2022 começa com uma mistura de entusiasmo e preocupação, de movimento frenético e de cautela. O Boxe regressa ao centro de Lisboa com o mesmo ritmo, mas animado por uma sede de competição e de energia que transforma estes dois dias de torneio em algo mais intenso do que um simples evento desportivo e cultural. A tarde de 23 de Abril, ainda sob a ameaça da chuva primaveril, é dedicada à montagem cuidada da estrutura que acolherá trinta combates da maioria dos clubes da Grande Lisboa. Entre o ringue, as luzes, o som e os mil detalhes da produção, a equipa da Rounds Academy garante a preparação e a recepção dos atletas. Com o aproximar da abertura oficial, a tensão necessária para a prática do Boxe começa a ficar palpável, visível nas expressões marcadas dos treinadores e dos atletas.

Consulte aqui os resultados oficiais dos combates: dia 23 e dia 24 de Abril 2022.
Informação gentilmente concedida pela Associação de Boxe de Lisboa

Os combates começam ainda com a luz do dia a desenhar sombras na madeira clássica da Josefa de Óbidos, um crescendo familiar de ruído e concentração, dentro e fora do ringue. O circuito é activado: à entrada da sala os atletas permanecem naquela zona mítica de foco e antecipação, rodeados pelas equipas e apoiantes mas estranhamente sós nos minutos finais antes da subida às quatro cordas. Nunca deixa de hipnotizar, esta cerimónia breve e técnica, sempre frenética mas melhor descrita em linguagem de câmara lenta. Dos pesos leves aos atletas experimentados, este é o momento por que todos os pugilistas anseiam.

Os combates da tarde de 23 de Abril são marcados por um Boxe jovem, algo nervoso e por vezes precipitado. O grau de experiência e de precisão aumenta com cada luta, quase em sincronia com a lotação e o entusiasmo da sala. De uma imponência subtil, quase antiquada, o espaço do evento confere à sequência de entradas e saídas um certo aspecto solene – a Lisboa de outro tempo vê renovada a prática e a crença da Nobre Arte. A noite cai, o ambiente torna-se ainda mais sério, iniciam-se os combates principais.

Para a história da noite ficarão sobretudo anotadas as prestações dos atletas das categorias de 63,5KG e 71KG, com destaque para a velocidade e elegância do combate entre José Bolela (Sacha Studio) e Armando Nae (Academia Jorge Pina), o furor e a confiança do combate entre Arménio Reis (Águias da Musgueira) e David Pina (Privilégio Boxing Club), e para a perícia e persistência do combate entre Ayrton Luz ( Sporting Clube de Portugal) e David Duarte (Escola de Boxe João Faleiro).

No dia 24, o tempo parece passar mais rápido. Para quem viveu a primeira noite de combates, o segundo capítulo do Rounds of Boxing 2022 é uma versão comprimida e acelerada da mesma sede de competição – mas nem por isso menos desafiante e complexa para cada atleta e o seu clube.

Na tarde de combates, de notar a exuberância visual e a notória confiança da jovem atleta Daniela Januário (Águias da Musgueira) no combate com Mafalda Morais (Privilégio Boxing Club). O Boxe Olímpico feminino em Portugal tem ainda muito espaço para crescimento e consolidação – aspectos estruturais que na presença de atletas promissoras ganham ainda mais urgência.
O evento não pára e o desenrolar da tarde presenteia o público presente com uma sequência invejável de combates de grande nível: também do Águias da Musgueira, Ricardo Costa enfrentou o notável jovem canadiano Manuel Moro (Centre Sablon), e Ademilson Tavares (Paulo Seco Team) voltou a demonstrar grande coragem e destreza na final com Armando Nae (Academia Jorge Pina).

A noite cai sobre o combate mais debatido do evento, o confronto entre a electricidade contagiante de Leandro Almeida (Rounds Academy) e a irreverência ágil de David Pina (Privilégio Boxing Club). Para além do resultado final, a história é a de um momento tenso entre dois atletas claramente competentes e cujos caminhos se voltarão a cruzar – na evolução de carreiras promissoras nas quais a dimensão do espectáculo e do entretenimento do Boxe tem um lugar devido.
A final do torneio ficou reservada para o combate entre Ayrton Luz (Sporting Clube de Portugal) e Yacine (Centre Sablon), com a vitória merecida a caber ao atleta português, cuja precisão e técnica mereceram destaque.

A cerimónia de prémios, o final do torneio e a chegada da noite séria evidenciam vários aspectos importantes do momento actual do Boxe em Lisboa e no país: ao evidente e conhecido fervor dos adeptos da modalidade junta-se, em 2022, um lento mas perceptível interesse de outras demografias urbanas. Talvez atraído pelo regresso à prática pública e aos eventos, ou pela dimensão mítica e fugaz de cada combate, este novo interesse revela mais uma surpresa no contexto pandémico – a resiliência e a renovada capacidade de criar momentos históricos no centro da cidade, no centro da cultura.

Veja toda a cobertura do evento Rounds of Boxing 2022